Queijo suíço produzido há menos de 170km de Brasília de forma artesanal e seguindo todos os ritos tradicionais da produção da iguaria estrangeira. Pode parecer um delírio, mas, desde os anos 1990, a Queijaria Alpina, comandada pelo suíço Stephan Gaehwiler, faz os laticínios em uma fazenda de Corumbá de Goiás. A qualidade e o sabor do produto conquistaram os paladares de Brasília. É encontrado nas mesas mais requintadas da capital federal, tendo como clientes ex-presidentes da República, políticos, embaixadores. Aparece ainda em mercadinhos gourmets e nos cardápios dos principais restaurantes da cidade. A venda é feita por encomenda.

Leia mais notícias em Cidades

Apesar da demanda, a produção ocorre em uma pequena fazenda, com o apoio de quatro funcionários e dos dois filhos do queijeiro, que acompanha cada etapa. Gaehwiler acorda todos os dias às 4h para ordenhar as 25 vacas leiteiras. Os animais são da raça pardo-suíço, a mesma que abastece os laticínios mais tradicionais do país dos Alpes. O cuidado com a qualidade começa logo na alimentação do gado. “Não existe queijo bom sem leite bom. Elas só comem capim, cana, milho e soja. Alimentos errados podem influenciar o leite e, consequentemente, o queijo”, ensina o empresário.

Às 7h, começa o trabalho na queijaria familiar, que conta com duas estufas. Os equipamentos reproduzem o clima e a umidade comuns na Suíça. As condições ideais para a produção foram encontradas pelo queijeiro depois de muito estudo e testes. Gaehwiler só deixa a propriedade para fazer a entrega e participar de feiras e confraternizações gourmets. Ele e os filhos levam a mercadoria aos consumidores em um carro de passeio. Os produtos são vendidos em Brasília e em Pirenópolis (GO). Também é possível adquiri-los na própria fazenda.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Fonte: www.correiobraziliense.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui